O Ministério Público de Torres Vedras ordenou à autarquia que retirasse os conteúdos da reprodução de um computador Magalhães expostos num “monumento” por considerar que se tratavam de “imagens pornográficas”.